14 de Abril de 2009

Caminho-de-ferro Transiberiano






































A par do Expresso do Oriente esta pode muito bem ser a viagem de uma vida. Para qualquer um que sonhe poder viajar livre e despreocupadamente à volta do mundo, o desafio é cruzar sob linhas férreas vários milhares de quilómetros, desfeiteando planícies, vales, cordilheiras e montanhas, penetrando fervorosamente no interior desértico das estepes asiáticas. Uma imensidão que a mente não alcança atravessa a rota iniciada na capital russa, culminando no outro lado da Manchúria, em Pequim – uma opção qualitativamente superior a Vladivostok. A viajem, desaconselhável aos menos tenazes, é não só uma verdadeira epopeia geográfica, mas sobretudo uma epopeia de inspecção e de introspecção. Tal empreendimento possibilita o contacto de perto com gentes que não são do nosso mundo.

A Ferrovia Transiberiana ou simplesmente Transiberiana (em russo: Транссибирская магистраль, Транссиб ou 'Transsibirskaya magistral', Transsib) é uma rede ferroviária conectando a Rússia Europeia com as províncias do Extremo-Oriente Russo, Mongólia, China e o Mar do Japão. É frequentemente associada com o comboio transcontinental russo que liga centenas de grandes e pequenas cidades da Rússia, tanto na Europa como na Ásia. Com 9 289 km, abrangendo oito fusos horários e levando vários dias a completar uma viagem completa, é o terceiro mais longo serviço contínuo do mundo, depois dos serviços das linhas Moscovo-Pyongyang (10 267 km) e a Donetsk-Vladivostok (9 903 km), ambos os quais também partilham a ferrovia Transiberiana em muitas das suas rotas.
Os planos originais e financiamento para a construção da ferrovia Transiberiana, para ligar a então capital São Petersburgo à cidade portuária de Vladivostok no oceano Pacífico, foram aprovados pelo Czar Alexandre II em São Petersburgo. O filho dele, o Czar Alexandre III, supervisionou a construção. O Czar nomeou pessoalmente Sergei Witte como Director dos Assuntos dos Caminhos-de-Ferro em 1889. Em 1891 o Czar Alexandre III abençoou oficialmente a construção do segmento do Extremo-Oriente da linha em Vladivostok e o primeiro segmento entre Chelyabinsk e Omsk. O Orçamento de Estado Imperial gastou na construção da linha 1,455 mil milhões de rublos de 1891 até 1913, um recorde, só superado apenas pelo orçamento militar da Primeira Guerra Mundial.
Em Março de 1891, o futuro Czar Nicolau II e a Imperatriz Alexandra abriram e abençoaram a construção do segmento do Extremo-Oriente durante a sua passagem por Vladivostok, após a visita ao Japão no final da sua viagem à volta do mundo.

Linha Transiberiana
A rota principal é a linha Transiberiana inicia-se em Moscovo, passa por Nizhny Novgorod no Volga, Perm no rio Kama, Ekaterinenbug nos Urais, Omsk no rio Irtysh, Novosibirsk no rio Ob, Krasnoyarsk no rio Ienissei, Irkutsk perto da extremidade sul do lago Baikal, Chita, Blagoveshchensk, Khabarovsk e finalmente Vladivostok. (De 1956 a 2001 o trem chegava via Yaroslavl em vez de Nizhny Novgorod). A sua construção durou desde 1891 até 1916 e em 2002 a eletrificação foi finalizada. Cerca de 30% das exportações russas viajam por esta linha.

Linha Transmanchuriana

A linha Transmanchuriana coincide com a Transiberiana até Tarskaya, algumas centenas de quilômetros a leste do lago Baikal. De Tarskaya a Transmanchuriana dirige-se para o sudeste, China adentro, terminando seu percurso em Pequim, sendo administrada pelo pessoal e administração russos baseados em Harbin, na Manchúria.

Linha Transmongoliana

A linha Transmongoliana coincide com a Transiberiana até Ulan-Ude, na margem oriental do Baikal. De Ulan-Ude a Transmongoliana dirige-se para o sul, em direção de Ulaanbaatar, para depois dirigir-se ao sudeste, em direção de Pequim.

Linha Baikal Amur

Em 1991, uma quarta rota indo mais longe para o norte foi finalmente terminada, depois de mais de 50 anos de trabalhos esporádicos. Conhecida como a linha Baikal Amur (em verde no mapa), esta extensão inicia-se da linha Transiberiana, a várias centenas de quilômetros a oeste do lago Baikal, e passa pelo lago na sua extremidade norte. Chega ao Pacífico a nordeste de Khabarovsk, em Sovetskaya Gavan (i.e., Porto Soviético, também conhecida como Sovgavan, Sovietgavan e, antigamente, Imperatorskaya Gavan, i.e., Porto Imperial). Apesar desta rota dar acesso à sensacional costa norte do Baikal, ela também passa por algumas zonas de acesso restrito.


NÃO PERCA AQUI A VIAGEM DO TRANSIBERIANO !!!!!

1 comentário:

uokyuoi disse...

Excelente viagem !!!!!!!!

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Related Posts with Thumbnails
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Ramal Cantinho dos Comboios

  ©Template by Cantinho dos Comboios